Ética e Códigos de Conduta

DEZ PRINCÍPIOS ÉTICOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 


Princípio do Serviço Público 

Os funcionários encontram-se ao serviço exclusivo da comunidade e dos cidadãos, prevalecendo sempre o interesse público sobre os interesses particulares ou de grupo.


Princípio da Legalidade 

Os funcionários atuam em conformidade com os princípios constitucionais e de acordo com a lei e o direito.
 

Princípio da Justiça e da Imparcialidade 

Os funcionários, no exercício da sua atividade, devem tratar de forma justa e imparcial todos os cidadãos, atuando segundo rigorosos princípios de neutralidade.


Princípio da Igualdade

Os funcionários não podem beneficiar ou prejudicar qualquer cidadão em função da sua ascendência, sexo, raça, língua,  convicções políticas, ideológicas ou religiosas, situação económica ou condição social.
 

Princípio da Proporcionalidade 

Os funcionários, no exercício da sua atividade, só podem exigir aos cidadãos o indispensável à realização da atividade administrativa.
 

Princípio da Colaboração e da Boa Fé 

Os funcionários, no exercício da sua atividade, devem colaborar com os cidadãos, segundo o princípio da Boa Fé, tendo em vista a realização do interesse da comunidade e fomentar a sua participação na realização da atividade administrativa.


Princípio da Informação e da Qualidade 

Os funcionários devem prestar informações e/ou esclarecimentos de forma clara, simples, cortês e rápida.
 

Princípio da Lealdade 

Os funcionários, no exercício da sua atividade, devem agir de forma leal, solidária e cooperante.
 

Princípio da Integridade 

Os funcionários regem-se segundo critérios de honestidade pessoal e de integridade de carácter.
 

Princípio da Competência e Responsabilidade 

Os funcionários agem de forma responsável e competente, dedicada e crítica, empenhando-se na valorização profissional. 

pesquisa

CReSAP, Comissão de Recrutamento e Selecção para a Administração Pública
erlog